5 histórias de sucesso de profissionais da beleza que perderam o emprego e deram a volta por cima

Que o mercado de beleza é um dos menos afetados pela crise, isso a maioria já sabe. O que muitos desconhecem são as histórias de sucesso de gente que perdeu o emprego e conseguiu se reinventar nesse setor. Muitos inclusive mudaram completamente de área.

É o caso de Felipe Mansano e Lucas Mendes, de 29 anos, que trabalhavam no mercado financeiro. A dupla decidiu investir em um negócio próprio, o MissBela, que é uma espécie de franquia para salões de beleza.

Felipe Mansano e Lucas Mendes MissBela

Aqueles que têm um estabelecimento desse tipo voltado à classe C e com faturamento de até R$ 40 mil por mês podem converter seu salão a essa bandeira, ganhando suporte com marketing e gestão.

Em 2016, os dois acabaram se tornando profissionais da beleza, ganhando com os royalties da franquia e taxa de publicidade. A promessa da proposta dos empreendedores é aumentar em até 30% o faturamento do salão.

Manicure fatura após desemprego

Maria Cristina Oliveira

Outra história de sucesso é a da manicure Maria Cristina Oliveira, de 50 anos. Ela também mudou completamente de área. Depois de perder o emprego como analista de sistemas, a contabilista abandonou uma carreira de mais de 15 anos para mergulhar no ramo da beleza.

A profissional investiu em um curso de manicure e aprendeu tudo do zero, mesmo sem nunca ter segurado em um alicate. Embora tivesse inicialmente dificuldade na parte prática, teve professores pacientes, que a motivaram.

Em comparação com os ganhos contínuos que aqueles que atuam nessa área conseguem, os cursos na área da beleza acabam sendo um grande investimento. Quem mora em São José do Rio Preto, por exemplo, tem à disposição as diversas opções do Cefad.

De metalúrgico a empresário da beleza

Edilson Gomes

Quem também mudou completamente de área foi Edilson Gomes, que, em 2015, sofreu uma demissão em massa de uma empresa onde atuou como metalúrgico durante 23 anos. Esse foi o pontapé para esse desempregado do interior de São Paulo virar um profissional da beleza.

Gomes, então, decidiu abrir uma franquia em São José dos Campos voltada ao embelezamento do olhar, chamada de Sóbrancelhas. Ele investiu R$ 120 mil no negócio, quase tudo proveniente do FGTS.

O negócio fez tanto sucesso que Gomes, um ano e meio depois, já tinha aberto uma segunda unidade da franquia. A esposa do empreendedor, então, se especializou no assunto, trabalhando atualmente na parte operacional.

Assim, a família conseguiu se unir e passar a ter sua renda garantida, além de empregar diversos outros profissionais, que estudam e se preparam por meio de algum curso de especialização na área da beleza, nesse caso, com o design de sobrancelhas.

Estética para sustentar a família

Magda Martinez de Oliveira

Aos 54 anos, a professora de estética, Magda Martinez de Oliveira, é outro caso de superação. Depois que o marido perdeu o emprego, ela percebeu que teria que ajudar a sustentar seus três filhos.

Decidiu, então, tirar um tempo para ganhar dinheiro. Começou revendendo produtos, mas a especialização no ramo da estética foi o que deu mais resultado. Depois de um ano e meio de dedicação, Oliveira trabalhou em clínicas e salões até abrir sua empresa.

Quando surgiu a oportunidade de se tornar professora na área, essa profissional da beleza não deixou escapar. Hoje, ensina tudo aquilo que aprendeu a jovens que também desejam se tornar empreendedoras.

O Cefad também pode ser um grande pontapé para quem quer seguir um rumo semelhante. Há cursos tanto de limpeza de pele e técnicas faciais quanto drenagens linfáticas redutoras e modeladoras, além dos diversos outros na área da beleza, que capacitam os que se interessam pelo assunto.

Atendimento especial a desempregados

Salão do cabeleireiro Diego Bittencourt

Em Suzano, um empreendedor inusitado começou a lucrar mais, fazendo um precinho especial para quem não estava trabalhando. Em 2016, o salão do cabeleireiro Diego Bittencourt passou a cobrar R$ 8 para corte de cabelo a desempregados.

Devido à promoção, conseguiu realizar, em menos de um mês, 108 cortes, fidelizando a clientela e mantendo seu estabelecimento funcionando em momento de crise. A ideia veio depois de uma grande queda no movimento do salão.

Bittencourt percebeu que precisava de uma estratégia inteligente e essa foi a ideia. Isso significa que profissionais da beleza, como ele, que se especializam e têm experiência, acabam conseguindo driblar as dificuldades.

Nesse caso, o Cefad também pode ser um aliado, com o curso de cabeleireiro, predominantemente para cortes femininos e outros procedimentos no cabelo da mulher. Para atuar atendendo a um público masculino, há também o curso de barbeiro.

Enfim…

São muitas histórias de superação, não? E, para cada setor do ramo da beleza, o Cefad pode contribuir. Quem está em São José do Rio Preto, está desempregado ou simplesmente quer se aprofundar mais no ramo da beleza, é só conhecer os diversos cursos da instituição.

5 histórias de sucesso de profissionais da beleza que perderam o emprego e deram a volta por cima
5 (100%) 9 votos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *